Archive for the ‘ Filosofando ’ Category

Construa seus dias

Em nossa vida sempre haverá dias cinzentos, dias escuros e dias em branco.

Os cinzentos são apenas para avisar que o rumo pode ser mudado, que ainda temos a chance de não deixá-lo se apagar, que basta mirar o sol, deixar a brisa bater para que tudo se clareie.

Já os dias escuros indicam que nos prendemos aos cinzentos e esses se acumularam, e acabaram encobrindo o sol e impedindo a brisa de se achegar. Para que os dias escuros desapareçam, precisamos parar de acumular mais e mais dias cinzentos, assim, eles vão sumindo, até que nada mais reste.

Branco lembra dias em que nada aconteceu. Dias que passaram em branco e nada fizemos, nem planejamos, nem buscamos, nem sonhamos, nem, nem… Esses dias não podem ser considerados os mais belos, embora seja o oposto dos dias escuros. Mas esses são os dias em que mais temos oportunidades.

Nos dias em branco, o sol está lá, perto, constante; a brisa tem todo espaço para correr livremente e você, e eu, temos uma folha limpa, e podemos colorir como quisermos. Podemos desenhar um arco-íris, todo colorido, ou podemos construir uma paisagem em escala de cinza, que pode ir se escurecendo, até que nada mais se veja.

Geralmente, após dias escuros e cinzentos, vêm os dias em branco, que se caracterizam por uma nova etapa, um recomeço, e essa é nossa chance de fazer diferente, de esquecer os dias passados e construir um novo hoje.

A sabedoria não está escondida em nenhum lugar que não podemos encontrar. Ela pode estar mais perto do que se imagina, ou mais longe, se não se imaginar. Ela pode ser um dom, que não pertence a todos, mas todos podem emprestá-la numa despretensiosa conversa com seu interior. Ela é que irá definir que dia você será capaz de construir.

Anúncios

Meus versos simples

Não é nenhuma novidade. Não falo nada que as pessoas já não saibam. Mas às vezes, relembrar é importante, e algumas coisas podem passar batidas por nós,  por estar em nosso inconsciente que insiste em não se manifestar.
Quem sabe com esses pequenos, talvez batidos, mas verdadeiros versos que escrevo, consigamos vivenciar mais esses verdades escondidas em nós.
Apenas digo, com minhas palavras, o que é de conhecimento comum. Que sirva de inspiração pra você, assim como foi pra mim.
“Vontade e esforço, embora não sejam suficientes, compõem 90% do caminho a percorrer para se alcançar os objetivos”.

Quando a gente nasce

Nascer é um fenômeno constante, que se renova em cada etapa de nossa vida. Não acho que acontece apenas uma vez, como se acredita. Nascer é vai além de sair do ventre materno, esse é o primeiro nascimento, quando temos o primeiro contato com esse mundo. Mas no decorrer da vida, nascemos por várias vezes, em cada nova fase. E são muitas ao longo do nosso caminho.

Quando crianças, desde muito cedo passamos por nosso segundo nascimento: o nascer para a fase estudantil. Passamos a freqüentar a escola, onde conhecemos uma nova realidade e começamos a aprender novas coisas. É um novo despertar para o mundo, uma nova fase para nós.

O tempo segue e um dia a gente cresce. Chega a hora de começar a trabalhar, se tornar mais responsável. Começa assim mais um nascimento: o nascer para o mercado de trabalho, onde encontraremos desafios ainda desconhecidos, pessoas e costumes diferentes daqueles com os quais convivíamos antes; aprendemos a conviver ainda mais com opiniões adversas às nossas e descobrimos, definitivamente, que precisamos respeitá-las.

Em meio a essas mudanças de fases, nunca se sabe exatamente em que momento iremos nos deparar com o outro nascimento: para o amor. Encontramos alguém que faz a gente se sentir diferente, que muda nossa maneira de enxergar o mundo e até nos faz esquecer como eram nossos dias antes de conhecê-la. E por meio desse nascimento, acabamos, naturalmente, seguindo para o próximo nascer, que se constitui em construir uma família, como aquela em que nascemos pela primeira vez.

Mas não são apenas esses momentos que implicam um novo nascimento. Durante toda a vida, passamos por muitas situações em que sentimos a necessidade de nascer novamente. Talvez, nascer para novos planos, talvez para novos empregos, ou ainda para novos amores; ou, talvez ainda, nascer novamente para a vida como um todo.

E cada vez que a gente nasce descobrimos algo novo, encontramos respostas, até para perguntas que ainda não havíamos feito. Quando a gente nasce, uma nova realidade nasce com a gente, um novo aprendizado, uma nova oportunidade, tudo se renova.

A pressa e a perfeição

Aqui estão duas coisas que realmente não combinam, que se detestam, que não querem mesmo estar juntas, seja lá para o que for: a pressa e a perfeição.

Sempre que ouvimos essa expressão popular, que diz muita verdade, não paramos para pensar em como ela faz sentido. Pelo menos, parece que não paramos, porque sempre estamos tentando colocar as duas juntas e esquecemos da velha rivalidade que há entre elas.

Às vezes tomamos decisões importantíssimas de uma hora pra outra, no “pá-pum”, sem pensar que as conseqüências podem não ser tão agradáveis assim. Escolhemos na pressa, não analisamos, não esperamos o tempo certo e necessário; aí, a perfeição some, não quer nem saber do que vai acontecer com a gente. Resultado: sobra aquele gostinho de decepção.

Por outro lado, sempre dizem que nada no mundo é perfeito, somente Deus, eu mesma acredito nisso. Mas se também levarmos em conta que (para quem acredita) somos feitos à imagem e semelhança Dele, somos “perfeitos” também, ou pelo menos devíamos  tentar colocar em prática essa dádiva.

Só que, na maioria das vezes, principalmente quando se trata de algo que queremos muito, não conseguimos sequer tentar dar uma chance para que tudo saia, se não perfeito, pelo menos o mais certo possível. Passamos por cima da lógica, não pensamos nas conseqüências, tudo por conta de uma vontade extrema de que tudo aconteça ou termine logo. Quando isso acontece, geralmente, o que era um sonho acaba se tornando um pesadelo. E nessa hora bate aquele arrependimento, e vem à mente aquela pergunta “Porque eu não pensei antes?”.

Quando alguém disse pela primeira vez que a pressa é inimiga da perfeição poderia até estar enganado, mas essa é uma expressão que não foi usada apenas uma ou duas vezes, é uma expressão que pegou, que ficou. Então, porque insistimos em não acreditar nisso?

Talvez ninguém no mundo tenha a resposta exata para essa pergunta, até porque, nós, seres humanos, somos imprevisíveis e impossíveis de se entender por completo. Muitas teorias foram lançadas e ainda assim são apenas teorias, algumas comprovadas, mas nenhuma que descreva exatamente que tipo de atitude cada indivíduo tomaria diante de uma mesma situação.

Enfim, a pressa e a perfeição são substantivos contrários e precisamos entender isso. Tomar atitudes, fazer escolhas que sejam conscientes, dependem, e muito, de calma e certeza. E na pressa acabamos não tendo muito tempo pra pensar, tampouco para ter certeza de que é realmente o que queremos.

Meus versos simples

Em meio a alguns momentos de inspiração do meu dia, algumas frases me vêm à mente.  Eu paro, as escrevo e reflito sobre a verdade que elas contém. Quando percebo que tem um mínimo fundo de sentido, as guardo, e a partir de agora, vou compartilhá-las com você.

“Uma mente madura traz junto de si a paciência e a consciência necessária para tomar decisões, se não mais certas, pelo menos mais seguras.”

A humana maneira de ser errante

Porque algumas coisas são tão difíceis de entender ou aceitar?
Não sei se sou a única, mas sempre que penso como algo poderia ser diferente e só não é porque eu não deixei, dá uma sensação estranha, como se tudo estivesse errado, como se não houvesse saída.
Talvez isso aconteça porque sempre que paramos pra pensar em algo do tipo é porque fizemos a opção errada. Aí, meus caros amigos, é tarde e bate mesmo aquela sensação que não dá pra entender e, como conseqüência, não enxergamos o que se passa a nossa volta.
Nesses deslizes, onde deixamos a vida de lado pra ficar remoendo um erro que nem fazia parte de nós, a vida passa e muito depressa. Até mais rápido que de costume. Tão rápido que, muitas vezes, não conseguimos nem enxergar o que veio e tão logo se foi (o tempo corria nessa hora).
Aquela oportunidade de trabalho que tanto esperávamos, o amor da nossa vida, aqueles amigos que seriam para sempre, outros que iriam embora, mas, seriam inesquecíveis. Tantas e tantas coisas que podemos perder por um erro que marcou nada mais que apenas um momento de nossas vidas.
Errar é isso, é passar por um momento. Momento de fraqueza, momento de egoísmo, apenas momento. E isso não pode parar a nossa vida, fazer com que deixemos oportunidades passarem e, assim, seguir cometendo outros erros, como o de não viver, por exemplo.
Acerta sempre e somente aquele que não fica prezo aos seus erros, não aquele que nunca comete um. Somos humanos, não fomos feitos para errar, mas vivemos errando. Todos, sem exceção, em vários momentos da vida irão cometer algum tipo de erro.
Sabe por quê? Porque a vida é mesmo uma caixinha de surpresas, e não dá pra saber se acertamos ou erramos até que ela se abra.