Arquivo para setembro \28\UTC 2010

Saudações mais uma vez

Boa tarde queridos leitores.

Sinto em ter tão pouco tempo pra me dedicar a esse blog. Mas, preciso escrever a vida através de atitudes, mais que apenas com palavras, e por esse motivo, não ando tendo muito tempo de aparecer por aqui.

Me sinto feliz por saber que mesmo com minha ausência há pessoas que sempre tiram um tempinho pra reler meus posts.

Enfim, dei uma pequena escapadinha pra voltar, e espero em breve poder novamente estar mais presente. Por enquanto, nesse curto tempo que me resta para dedicar algumas palavras ao blog, quero deixar uma pequena mensagem:

“Cuidado com o olhar que dedica a cada pessoa. Temos o péssimo hábito de atribuir a alguns o defeito que pertence a outros, mas que não queremos enxergar.”

Boa semana.

Só queria falar uma coisinha

Nossa, eu pensei tanto tempo em escrever com frequência pra este blog. Fiz planos de postar alguma coisa pelo menos três vezes por semana, e veja o que acontece, nada deu certo. Continuo postando coisas aqui a cada dez dias, pelo menos.

Definitivamente não sei mais o que fazer para mudar essa realidade, e o problema nem é a falta de tempo para escrever, isso a gente dá um jeitinho, afinal, como dizem grandes nomes do nosso mundo profissional (os patrões) “o que você faz da meia noite às 6?”. O problema é a falta de tempo pra desenvolver algum assunto, e até a falta de tempo para encontrar um assunto.

Fico pensando no que dizer, sempre, pra não acabar dizendo coisas desinteressantes (espero ter conseguido até agora), e pensando nisso, acabei encontrando um assunto pertinente aos meus pensamentos, justamente esse: gente que fala, fala, e não tem nada a dizer.

Tá, vamos lá, quem é que nunca se pegou falando pelos cotovelos e, depois, percebeu que não fazia tanto sentido o que estava falando? Acho que todo mundo já cometeu essa gafe pelo menos uma vez na vida. E as vezes o problema nem era o que você estava falando, mas pra quem você estava falando. De repente o assunto fazia o maior sentido, assim como tudo o que você havia dito também, mas estava sendo direcionado às pessoas erradas.

Certa vez, por exemplo, me peguei comentando sobre um vídeo que tratava de forma cômica o cotidiano de um publicitário, com uma amiga que não tem ideia de como seja, nem o que envolve esse universo. O texto era longo, cheio de gírias específicas do meio, e eu achando que estava abafando com a “piada”. No final das contas, as piada estava sendo eu mesma, e uma piada bem chata.

Todo mundo está sujeito a esse tipo de situação, é algo involuntário, mas é importante se policiar, porque ser desagradável é bem desagradável e pode prejudicar nossas relações. Nem sempre falar bastante é sinônimo de simpatia, pode ser sinônimo de idiotice também. Principalmente quando estamos no meio de um grupo que está discutindo sobre algo que não conhecemos. Pra que fingir que sabe se não sabe? É mais inteligente ficar quieto ou, se for viável, assumir que não sabe e buscar aprender, alí, na conversa mesmo.

Porque estou abordando esse assunto, não sei, acho que é por vontade de falar pelos cotovelos e não ter o que falar. Viu só como é chato isso. Fiz você ler esse poste inteiro, disse um monte de coisas, e na verdade, eu não queria dizer nada, porque, simplesmente, não tenho nada pra dizer. Eu queria mesmo é provar como é chato e irritante, alguém que não tem o que dizer e fica falando mesmo assim.

É isso. Eu não tinha nada pra dizer.

Ou tinha. Depende da sua interpretação.

Meus versos simples

Não é nenhuma novidade. Não falo nada que as pessoas já não saibam. Mas às vezes, relembrar é importante, e algumas coisas podem passar batidas por nós,  por estar em nosso inconsciente que insiste em não se manifestar.
Quem sabe com esses pequenos, talvez batidos, mas verdadeiros versos que escrevo, consigamos vivenciar mais esses verdades escondidas em nós.
Apenas digo, com minhas palavras, o que é de conhecimento comum. Que sirva de inspiração pra você, assim como foi pra mim.
“Vontade e esforço, embora não sejam suficientes, compõem 90% do caminho a percorrer para se alcançar os objetivos”.